segunda-feira, maio 31, 2010

Poema

SYMPOSIUM do Amor


O poeta chegou de pena em riste e escreveu:
- Amor é fogo que arde, arde…
- Pois arde, arde!...
no corpo, no bolso...
Comentaram os poetas amadores
De rosas e rimas.

Mas logo outros poetas
Mais desencantados
E tocados do agridoce sabor
do desamor que dói e se sente
Sopraram: um desapontado talvez...
um lampejo apenas…
Um cintilar esperançado…
um suave lume…

De verbo
aceso e inflamada
Rima, outros alvitraram um «incêndio»
Que queima em chama viva.

Mas os poetas cínicos
Tremeram de frio e disseram
Tudo se consumiu
E agora resta para tristeza e mágoa
apagado o pavio.
Manuel Guimarães

2 comentários:

Diego Schaun disse...

Olá, sou Diego Schaun, poeta e músico baiano. Forte abraço! Adorei teus escritos!

(músicas)http://palcomp3.comn/diegoschaun
(blog) http://diegoschaun.blogspot.com (twitter) @diegoschaun

Laura disse...

Belíssimo Poema! :)
Beijinho com saudades destas leituras *